Comunicação

Notícias

VOLTAR
11/04/2019
Violência sexual contra crianças e adolescentes: o que nunca pode ser esquecido

Por: Francine Tiecher

() comentários

18 de maio é marcado como o Dia Nacional de combate a esse problema

 

O enfrentamento da violência sexual contra crianças e adolescentes é um tema amplamente debatido em diversas esferas da sociedade e que precisa ser olhado com mais atenção tanto no âmbito familiar, quanto na educação e no poder público.

Segundo dados do balanço de denúncias colhidas pelo Disque 100, que é um canal brasileiro criado para relatar casos de violação de direitos humanos, entre 2012 e 2016, o Brasil somou cerca de 175 mil casos de exploração sexual de crianças e adolescentes. Isso representa uma média de quatro casos relatados por hora no país.

Dados alarmantes reforçam a necessidade de buscar formas de combate e prevenção a esse problema, uma vez que o Brasil está entre os primeiros no ranking internacional de casos que vitimam crianças e que deixam marcas permanentes na vida adulta.

Nesse sentido, o dia 18 de maio é marcado como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. “O dia de combate nacional à violência e à exploração sexual de crianças e adolescentes foi criado justamente porque muitos casos são complexos, difíceis de serem revelados, e muitas crianças passam por isso e não conseguem receber a ajuda necessária. Então a violência sexual, por mais que as pessoas pensem o contrário, ainda acontece de forma majoritária dentro da casa da vítima. O que se quer dizer com “dentro da casa da vítima”? Os estudos têm indicado que o agressor e a agressora sexual na maioria dos casos, cerca de 80% deles, são pessoas que as crianças conhecem e confiam: membros da família ou alguém que ela possua laços de afeto mesmo que não possuam laços consanguíneos. Então aquela pessoa que deveria cuidar da criança, na verdade utiliza esse papel de cuidado que deveria ter, para cometer violência sexual”, explica o professor da graduação e do Mestrado em Psicologia da IMED e Coordenador do Grupo de Pesquisa VIA REDES – Violência, Infância e Adolescência e atuação das redes de proteção e atendimento, Dr. Jean Von Hohendorff.

 

IMED realiza 1ª Jornada VIA-Redes

Com o intuito de promover um encontro alusivo ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Infanto-juvenil, o Grupo de Pesquisa VIA-Redes, vinculado ao Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia da IMED promove no dia 08 de maio, a 1ª Jornada VIA-Redes.

O evento tem como principal objetivo fomentar o debate sobre violência sexual contra crianças e adolescentes entre acadêmicos, profissionais e comunidade em geral. Para tal, serão oferecidas palestras interativas nos turnos da manhã e da tarde, nas quais as pesquisas realizadas pelo VIA-Redes serão compartilhadas em linguagem acessível visando a troca de saberes entre os presentes.

Se interessou? As inscrições podem ser feitas pelo e-mail [email protected], especificando nome completo, telefone, município e local de trabalho. A inscrição é gratuita.

Além disso, ao se inscrever no evento, o/a participante pode enviar um questionamento sobre o tema para debate.

 

**Foto: Reprodução internet

Galeria de Imagens
comentários sobre esta Notícia