Comunicação

Notícias

VOLTAR
09/10/2019
Pesquisa demonstra impacto negativo de mobilidade urbana em torno da Arena do Grêmio

Por: Daniel Santos

() comentários

O estudo desenvolvido pela Fundação IMED evidencia a lentidão de deslocamento e alagamentos

Inaugurado em 2012 e considerado hoje um dos maiores estádios do mundo, a Arena do Grêmio foi construída em posição estratégica com a intenção de garantir praticidade tanto para os torcedores locais, quanto para aqueles que vêm do interior do Estado, de outros lugares do Brasil e até do mundo. O estádio do tricolor gaúcho conta com capacidade para 60 mil pessoas e sua imponência chama a atenção logo na entrada da capital Porto Alegre.

Mas as condições de deslocamento entorno da Arena Grêmio, como são? Foi justamente este o questionamento de uma pesquisa realizada através da necessidade de melhorias na avaliação de projetos voltados para a mobilidade urbana, após a implementação de equipamento público.

O estudo foi financiado pela Empresa Anestesiologia Independente LTDA e desenvolvido pela IMED. “A pesquisa demonstrou o impacto negativo na mobilidade urbana devido a falta de manutenção das vias urbanas no entorno da Arena do Grêmio, onde a má qualidade das ruas ocasiona em uma maior lentidão de deslocamento pelos trajetos além da falta de drenagens pluviais a qual ocasiona em grandes pontos de alagamento e congestionamentos”, relata o coordenador do projeto, professor Dr. Alcindo Neckel.

 

Equipe resposnável pelo estudo


A equipe que realizou o estudo de mobilidade urbana contou também com o trabalho dos Arquitetos e Urbanistas Regis Antônio Grando e Guilherme dos Passos Morigi, além  dos  professores Amanda Schuller Bertoni, e Henrique Kujawa. “A pesquisa pretende ser continuada com a disposição de conversas com a direção do Grêmio para a construção de ações que possibilitem melhorias na mobilidade urbana do local”, finaliza Neckel.

Foto: Facebook Arena do Grêmio 

Galeria de Imagens
comentários sobre esta Notícia