Comunicação

Notícias

VOLTAR
22/10/2019
Outubro Rosa Pet mobilizou professores, estudantes e comunidade no último sábado

Por: Francine Tiecher

() comentários

A ação teve o objetivo de conscientizar tutores sobre como prevenir o câncer de mama em pets

Foto: Grazieli Gotardo / Assessoria de Imprensa PF Shopping

 

No último sábado (20), a IMED, por meio do Curso de Medicina Veterinária, em parceria com o Passo Fundo Shopping, realizou mais uma edição do “Outubro Rosa Pet”.

A ação que é promovida anualmente no mês de comemoração a prevenção ao câncer de mama, teve o objetivo de educar e conscientizar os tutores sobre como prevenir essa doença e realizar a análise em seus pets.

O evento que aconteceu no Passo Fundo Shopping, contou com conversas com médicos veterinários e estudantes, além da realização de exames de prevenção ao câncer de mama em animais de estimação.

Atualmente, a principal causa de óbito em cães e gatos é o câncer, estimando-se que um em cada cinco cães irá desenvolver algum tipo de tumor maligno durante sua vida.

Entre os tipos de câncer, o que apresenta maior prevalência é o de mama, que chega a uma média de 25 a 50% de todos os tumores diagnosticados em pets. Eles acometem principalmente fêmeas entre 10 e 11 anos de idade, sendo mais raras em animais com menos de 5 anos de idade. A principal causa é a castração tardia, realizada após vários estros (cio).

“O tumor mamário em cadelas é o tipo de tumor mais frequente, sendo que 50% das neoplasias mamárias em cadelas são benignas e outros 50% são malignas. Em gatas, esse não é o tumor mais frequente, mas também acontece, sendo que de 80 a 90% em felinos são malignos e apenas de 10 a 20 % são benignos, então, é muito importante as pessoas saberem que o tumor em si tem cura, porém, para que haja essa cura do paciente, tem que se trabalhar a prevenção. Assim como acontece na medicina humana, o quanto antes o diagnóstico for realizado, maiores são as chances de cura, uma vez que nós temos três tipos de tratamento: o cirúrgico, que é a remoção; a quimioterapia, que é realizada quando o tumor já está mais espalhado e já está acometendo vários órgãos; e a radioterapia, que é um tratamento com radiação focado na região onde há o tumor/neoplasia”, explica uma das professoras do Curso de Medicina Veterinária e que coordenou a ação, Juliana Gottlieb Sebem.

Foto: Grazieli Gotardo / Assessoria de Imprensa PF Shopping

 

Juliana ainda destaca que, para que se faça uma prevenção eficaz contra o câncer de mama, é necessário que o mesmo exame preventivo que é feito em mulheres, seja feito pelos tutores em fêmeas, em média a cada três meses. “É necessário que os tutores façam a palpação em todas as mamas das cadelas e das gatas, que são cinco do lado direito e cinco do lado esquerdo, e ao redor delas, pois nem sempre nem sempre as neoplasias se encontram em cima dos mamilos. Uma vez identificada a presença de uma bola de consistência mais dura, semelhante a um grão de arroz, esse pode ser o primeiro sintoma da presença do tumor de mama. Uma vez detectado, o animal deve ser levado imediatamente ao médico veterinário de confiança para verificar qual o melhor tratamento disponível para esse paciente”, comenta a docente.

A castração precoce também diminui a incidência do tumor mamário. Ela deve ser realizada antes do primeiro cio, entre os 6 e 8º mês de vida do animal, ou então depois do primeiro cio, para a castração ter um efeito preventivo com relação a neoplasia de mama. “É importante frisar que, nunca, em hipótese alguma, deve se aplicar injeções hormonais, ou mesmo medicamentos orais a base de hormônio e que façam a prevenção do cio, pois uma única dessas aplicações de medicamentos como progestágenos e estrógenos, podem causar a neoplasia”, alerta a médica veterinária.

 

 

 

 

 

Galeria de Imagens
comentários sobre esta Notícia