Como Logar?

Comunicação

Notícias

VOLTAR
05/07/2018
Incentivo à pesquisa científica e tecnológica

Por: Vilmarise Franceschi

() comentários

A IMED teve um aumento de 22% nas cotas de bolsas de Iniciação Científica e Tecnológica para o próximo ano, se comparado a 2018. São bolsas concedidas aos alunos pela FAPERGS, CNPq e pela própria IMED, que vão fomentar a produção científica na instituição, aproximando o meio acadêmico do empresarial.

Conforme a Coordenadora de Pós-graduação Strictu Sensu e Pesquisa da IMED, prof. Dra. Daiane Folle, para uma instituição que busca excelência na formação de seus alunos, assim como uma formação completa, que permita experimentar e viver experiências de contato profissional e acadêmico científico durante seu processo de formação, as ações de Iniciação Científica e Iniciação Tecnológica permitem explorar esse universo. “A Iniciação Científica e Tecnológica é o primeiro contato dos alunos de graduação com a pesquisa. A pesquisa tem o potencial de ampliar os conhecimentos adquiridos pelo aluno durante sua graduação, além de prepará-lo e desafiá-lo para continuar sua formação numa pós-graduação”, afirma.

As bolsas de caráter de iniciação Científica como a “PIBIC/PROBIC” incentivam as práticas de pesquisa e as de Iniciação Tecnológica “PIBITI/PROBITI”, oportunizam experiências em transferência de tecnologia, desenvolvimento tecnológico e inovação. As bolsas podem ser acessadas via edital público, disponibilizado anualmente no site da IMED, com cotas distribuídas para os cursos com Programas de Pós-graduação Stricto Sensu vigentes.

Segundo Daiane, “a ampliação do número de cotas de bolsas de IC e IT na IMED significa um grande avanço para a instituição que está construindo seu caminho e espaço dentro do cenário nacional de Stricto Sensu, assim como para a vida dos acadêmicos da IMED. Isto permite muitas possibilidades de crescimento pessoal do jovem pesquisador, abrindo horizontes e possibilidades de melhorar sua capacidade de análise crítica, evoluir na sua maturidade intelectual, compreender de forma mais ampla a ciência e visualizar possibilidades futuras tanto acadêmicas como profissionais”, comenta.

Galeria de Imagens
comentários sobre esta Notícia