Comunicação

Notícias

VOLTAR
22/07/2021
IMED foca no estímulo a soluções inovadoras para educação

Por: Karen Vidaleti

() comentários

Instituição anuncia criação de sua célula de inovação e lança fundo de investimento para startups da área

Com foco no estímulo à inovação para o mercado da educação, a IMED lançou nesta quinta-feira (22) duas iniciativas: o IMED Labs, um laboratório que visa identificar oportunidades e criar novos produtos para todas as áreas de negócio, e o IMED Ventures, um fundo de investimentos de R$ 2 milhões, que mira em edtechs, startups de educação. Ambas corroboram com a estratégia da instituição, de incentivo ao empreendedorismo e inovação, valores que a acompanham ao longo de seus mais de 15 anos.

 

Instituição está presente em Passo Fundo (acima) e Porto Alegre

 

Constituído na forma de uma célula de inovação, o IMED Labs vai atuar como laboratório de experimentos de novos negócios e buscará fortalecer a cultura da inovação. Para o coordenador do IMED Labs, Gláuber Signori, a criação do IMED Labs responde ao desafio estratégico de transformação da IMED em uma plataforma educacional inovadora, empreendedora, conectada ao mundo empresarial, com cultura ágil e focada na experiência do cliente. 

“Precisamos constituir uma plataforma de aceleração de carreiras e negócios, considerando a profunda transformação nas competências e habilidades requeridas dos alunos formados no ensino superior pelo mercado de trabalho. Portanto, o IMED Labs será nosso laboratório de inovação para a melhoria de processos internos, para a transformação da experiência do aluno e para a criação de novas soluções educacionais e novos negócios”, resume.

Já o IMED Ventures, que está constituído como sociedade limitada, composta pelos sete sócios da instituição, chega com potencial para investir em até oito startups. O foco são startups em início de operação ou que já tenham seus primeiros clientes, cujas soluções estejam voltadas a ensinos específicos, novas formas de aprendizagem e foco no estudante. 

“Vamos buscar startups focadas nas áreas de atuação da IMED, que permitam ampliar nossas soluções B2C e B2B e contribuam para aprendizagem, aproximação com o mercado e aceleração de carreiras. Vamos apoiar com recursos financeiros, mentorias, infraestrutura, rede de networking e aproximação com nossos alunos e clientes B2B”, explica o presidente da IMED, Eduardo Capellari.

 

Eduardo Capellari, presidente da IMED

 

A primeira empresa investida pelo IMED Ventures é a Whydea, startup builder sediada em Passo Fundo, no Norte gaúcho. Criada em 2019, é hoje uma edtech focada na educação empreendedora, oferecendo serviços que vão desde a ajuda ao cliente para tirar a sua ideia do papel até a busca por investimento. Em 2020, a startup cresceu 75%, alcançando um valuation de R$ 3,8 milhões.

“Esse investimento significa, principalmente, uma validação de que estamos no caminho, já que IMED é hoje um dos players que mais se destaca no segmento da educação. É uma instituição de ensino superior que trabalha muito bem o empreendedorismo e propõe uma cultura de inovação para empresa, o que é absurdamente necessário para o crescimento da economia regional. Essas iniciativas mostram o alinhamento entre IMED e Whydea, já que o nosso movimento é muito parecido com esse”, destaca o sócio da startup, Sandro Augusto Silva.

Pensando na educação empreendedora e buscando levar conhecimento para várias partes do País, a Whydea irá lançar sua própria plataforma de ensino, que reúne metodologias testadas ao longo de dois anos, para ajudar aquelas pessoas que desejam saber mais sobre o empreendedorismo ou que querem buscar mais conhecimento para colocar seu negócio em prática.

 

Whydea é a primeira startup investida pelo IMED Ventures

 

“Durante esses dois anos e meio de aprendizado, nós fomos aprimorando nossos serviços e, agora, chegamos na versão mais enxuta, eficaz e digital, e vamos conseguir comercializar por um valor super acessível. Isso nos dá uma vantagem competitiva muito grande, já que agora vamos poder estar em qualquer canto do Brasil, por um ticket super baixo. Os próximos meses prometem”, finaliza Sandro. 

Entre os requisitos que um negócio deve ter para ser avaliado pelo IMED Ventures, estão MVP validado (Minimum Viable Product ou Produto Mínimo Viável) e faturamento anual de R$ 500 mil a R$ 1,5 milhão. Os empreendedores que desejem apresentar seus negócios podem se inscrever através do site ventures.imed.edu.br.

 

Mais sobre as áreas de abrangência da IMED Ventures

 

  •  Ensinos específicos

Agronegócio; Empreendedorismo; Finanças e negócios; Saúde e bem-estar; Soft skills e Tecnologia. 

 

  • Foco no estudante

Aprendizagem individual e personalizada; Aproximação do aluno com o mercado; Professor como mentor, guia e curador; Vocação e carreira. 

 

  • Novas formas de aprendizagem

Aprendizagem ao longo da vida; Cursos rápidos e focados; Educação híbrida; Instituições de ensino digitais; Tecnologias para apoiar os cursos da IMED e Treinamento corporativo.

 

Galeria de Imagens
comentários sobre esta Notícia