Comunicação

Notícias

VOLTAR
12/04/2021
IMED adere ao movimento nacional Unidos pela Vacina

Por: Karen Vidaleti

() comentários

Com a meta de imunizar todos os brasileiros até setembro de 2021, mobilização busca mapear e eliminar entraves que atrasam a vacinação no País

Desde o início da pandemia, a IMED se manteve atuante na linha de frente no enfrentamento à covid-19, por meio de diversas ações que mobilizaram colaboradores, professores e estudantes. Agora, a instituição adere ao Movimento Unidos pela Vacina, que reúne centenas de entidades, empresas, associações e organizações não governamentais, com um único objetivo: tornar viável a vacinação de todos os brasileiros até setembro de 2021. 

O movimento é fruto de uma iniciativa do Grupo Mulheres do Brasil, liderado pela empresária Luiza Helena Trajano, e busca engajar a sociedade, em conjunto com empresários de todo o Brasil. A mobilização é apartidária e sem interesses comerciais. Com a adesão, a IMED, assim como os demais participantes, se compromete a voltar suas atenções para a solução do problema, buscando identificar gargalos que possam atrasar a vacinação e contribuir para aplacar possíveis obstáculos.

Ao longo do último ano, diversas ações foram executadas em combate à covid-19. Assim que os primeiros casos do novo coronavírus foram confirmados no Rio Grande do Sul, a IMED suspendeu suas atividades presenciais, a fim de preservar a segurança e a saúde da comunidade acadêmica. Para isso, instituiu um Comitê de Prevenção ao Coronavírus e concentrou esforços em revisar ações e adequar seus ambientes de aprendizagem e trabalho às orientações e às novas normas sanitárias.

Desde então, os acadêmicos da área da saúde IMED mantiveram-se na linha de frente. Em Passo Fundo, alunos da Medicina atuaram fortemente junto aos Centro de Triagem do Coronavírus, realizando atendimento aos pacientes. Também desenvolveram uma Central de Teleorientação Médica, visando esclarecer dúvidas de pessoas com sintomas suspeitos, e acompanharam, por contato telefônico, mais de 3 mil pacientes por meio do programa de Matriciamento, com a supervisão do corpo docente da instituição. Ainda integramos o grupo de instituições que realizaram o maior estudo epidemiológico sobre covid-19, liderado pela Ufpel.

Os Laboratórios de Engenharia e Arquitetura da instituição produziram máscaras face shield, para ajudar a proteger os profissionais de saúde que atuam na linha de frente. A partir de doação da Receita Federal, mais de 400 litros de vodca foram transformados em meia tonelada de álcool em gel. Sob a responsabilidade do professor químico Rudimar Pedro, a produção teve como destino final famílias de recicladores de Passo Fundo e hospitais da região.

Com a liberação dos órgãos competentes e a formulação de um Protocolo de Prevenção e Contingência para a Covid-19, a IMED retomou gradualmente as aulas práticas em seus campi, disponibilizando EPIs, álcool em gel e resguardando o distanciamento entre os participantes, com a sinalização dos espaços. Com o agravamento da crise sanitária, as aulas foram mantidas online, enquanto as atividades práticas e presenciais foram suspensas. Para as atividades administrativas, a instituição aderiu ao modelo de trabalho híbrido para parte do quadro e redistribuiu suas equipes, a fim de proporcionar espaços de trabalho mais seguros.

Agora, como parte do esforço para conter a proliferação do vírus, desenvolve campanha, na qual enfatiza a importância do cuidado e do engajamento de cada membro da comunidade acadêmica, para prevenir o contágio.

 
Galeria de Imagens
comentários sobre esta Notícia