Comunicação

Notícias

VOLTAR
01/12/2021
Estudo promove avaliação e promoção de habilidades sociais nos transtornos relacionados ao uso de substâncias ilícitas

Por: Daniel Santos

() comentários

Projeto que avalia sintomas depressivos, de ansiedade, de estresse e de impulsividade conta com pesquisadores nacionais e internacionais

O projeto denominado ‘Avaliação e Promoção de Habilidades Sociais nos Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias’ veiculado ao Grupo de Estudos e Pesquisas Relações Interpessoais, Emoção, Comportamento e Cognição (GEPRIECC) do curso de Psicologia da IMED, tem foco no desenvolvimento das habilidades sociais de usuários de drogas ilícitas para avaliar as consequências negativas que produzem na saúde e na qualidade de vida destas pessoas.

Conforme a professora Dra. Marcia Fortes Wagner, coordenadora do GEPRIEC, indivíduos com um repertório pobre de habilidades sociais demonstram dificuldade na conversação, na expressão das ideias e nas interações, desencadeando insegurança e desconforto nos contatos sociais.

“A gente está avaliando sintomas depressivos, de ansiedade, de estresse e de impulsividade e também o padrão de consumo dessas substâncias e, além, do reportório social e de habilidades desses sujeitos, também buscamos no final da avaliação desenvolver uma intervenção, ou seja, grupos de treinamento de habilidades sociais, com o objetivo de torna-los mais competentes socialmente, e assim, possam conseguir reagir melhor frente ao não uso destas substâncias”, explica a professora Marcia Wagner.

O estudo está em andamento, foi submetido ao edital Fapergs de 2019 do Programa Pesquisador Gaúcho – PQG, e conta com a colaboração dos professores: Margarete da Silva Oliveira (PUC-RS), Ilana Andretta (Unisinos) Camila da Rosa Oliveira (IMED), Henrique Paloski (IMED), Vicente Caballo (Universidade de Granada, na Espanha).

 

Sobre o GEPRIECC

O GEPRIECC tem por objetivo desenvolver estudos e investigações envolvendo  relacionamentos interpessoais em diferentes contextos. Visa também realizar avaliações e intervenções psicológicas utilizando o referencial cognitivo-comportamental. Atualmente, o grupo está desenvolvendo estudos com população geral envolvendo professores de Ensino Fundamental e Ensino Superior e população clínica que apresentam critérios diagnósticos para Transtorno de Ansiedade, Transtorno Depressivo, Transtornos Alimentares e Transtornos por Uso de Substâncias.

 

comentários sobre esta Notícia