Comunicação

Notícias

VOLTAR
23/09/2020
Diferenciais que o Doutorado em Odontologia pode trazer para a sua carreira

Por: Karen Vidaleti

() comentários

?

 

Saiba como essa experiência pode contribuir para o desenvolvimento pessoal e profissional

De que forma um Doutorado em Odontologia pode contribuir para a carreira do profissional da área? Quais habilidades e diferenciais podem ser desenvolvidos ao longo do programa? Questões como essa pautaram, na última semana, um bate-papo do corpo docente do Doutorado em Odontologia da IMED com um seleto grupo de convidados. 

As ideias e experiências abaixo foram compartilhadas pelos professores Ataís Bacchi e Bernardo Agostini, em evento conduzido pelo coordenador do curso, Prof. Dr. Rafael Sarkis Onofre, que também contou com a participação da diretora de Pós-Graduação Stricto Sensu e Pesquisa, Caroline Calice da Silva, e dos docentes Aloísio Oro Spazzin, Graziela Oro Cericato, Lilian Rigo, Rodrigo Alessandreti e Rodrigo Varella Carvalho.

 

Atualização constante

O doutorado é capaz de criar ou fortalecer o hábito de constante atualização dentro da área de formação. “A gente sabe que cada vez mais técnicas e materiais são introduzidos na nossa profissão, quase que diariamente. O domínio da área científica me faz estar sempre atualizado em relação ao que está sendo lançado no mercado, como vou aplicar aquilo, se vou adotar e de que forma para ter o melhor desempenho... Isso proporciona estar por dentro das tendências não só comerciais, já que, antes de irem para o mercado, elas são antecipadamente abordadas no meio científico”,

 

Autonomia 

Passar por um período bastante de estudos aprofundados, ajuda o profissional a desenvolver a capacidade de buscar informações por si e torna o seu aprendizado mais independente, relata o professor Ataís Bacchi. “Você sempre vai buscar contatos e cursos - isso precisa acontecer -, mas essa autonomia te ajuda muito a ter o conhecimento prévio para chegar em um curso, em uma nova especialização já com uma bagagem para aprofundar ainda mais.” 

O mesmo ponto é reforçado pelo professor Bernardo Agostini. “O Doutorado dá o suporte necessário para que façamos a nossas escolhas, o que é essencial no mercado de hoje. Seja ele acadêmico, científico, nós temos que tomar decisões, fazer escolhas e nos posicionar. O doutorado permite que tu seja autônomo tanto na construção do teu conhecimento, como na produção de novos conhecimentos”, observa.

 

Tomada de decisão

O profissional aprende a fazer escolhas com base em evidências científicas. “Na minha experiência, senti que, com esse contato e o desenvolvimento do processo do doutorado, me acostumei a escolher técnicas e materiais sempre com base no que há de melhor na literatura em termos de evidências sobre aquele tema”, conta Ataís. 

Ele reconhece que há casos em que o profissional irá se deparar com situações em que não existem tantas evidências relacionadas. Ainda assim, o conhecimento e a autonomia conquistados durante o programa de doutorado permitem “buscar e extrair na literatura marginal àquele tema as informações que irão te guiar ao melhor caminho para resolver o caso do paciente”. 

 

Maturidade científica

O doutorado qualifica para atuar na academia, mesmo os profissionais que não tenham uma vasta experiência clínica anterior. Isso é possível graças ao sólido processo de construção do conhecimento que o programa proporciona, que inclui a aplicação e consolidação do conhecimento. “Na área acadêmica, a constante evolução dos conhecimentos é necessária. A gente não consegue repetir uma aula por dois, três, quatro semestres. O conhecimento se renova e, para isso, é preciso ter maturidade científica para conseguir identificar o que é um conhecimento que vai ser utilizado de imediato ou está em fase inicial”, compreende o professor Bernardo.

 

Conheça mais sobre o Doutorado em Odontologia da IMED

O Doutorado em Odontologia completa o ciclo de ensino em odontologia na IMED, área em que a instituição já desponta como referência por meio dos seus cursos de graduação, Especialização - que inclui parceira com a Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre - e Mestrado. 

Aprovado pela Capes, o curso está formatado para o desenvolvimento de quatro habilidades especiais: ensino e gestão do ensino superior, pesquisa, fluência tecnológica e inter, trans e multidisciplinares.

Além disso, o programa foi alicerçado em duas linhas de pesquisa principais. A primeira é voltada ao estudo de propriedades físicas, químicas e biológicas dos materiais odontológicos e estruturas dentárias. A segunda, aos fatores ambientais, psicossociais, sistêmicos e locais em diferentes desfechos odontológicos. 

“Essas linhas foram estruturadas pensando numa sinergia entre ambas, evitando que duas linhas trabalhem de maneira isolada e fazendo com que o aluno tenha formação mais integral”, explica o coordenador do curso, Prof. Dr. Rafael Sarkis Onofre.

O curso será conduzido em associação com a UNAERP (SP), instituição com a qual a IMED mantém colaborações científicas e acadêmicas na área há bastante tempo. ““Essa parceria permite uma grande ampliação do nosso parque tecnológico, o que também é um dos nossos grandes diferenciais”, acrescenta.

 

 

Galeria de Imagens
comentários sobre esta Notícia