Comunicação

Notícias

VOLTAR
15/05/2019
Construir a casa própria requer a contratação de um profissional habilitado

Por: Paula Steffenon

() comentários

A professora do Curso de Arquitetura e Urbanismo da IMED, Liliany Scharamm da Silva Gattermann, alerta que a contração de um arquiteto e urbanista é indispensável para evitar transtornos e gastos desnecessários

Ter uma casa própria é o sonho de grande parte da população brasileira. No entanto, a construção do próprio imóvel requer planejamento para evitar transtornos e gastos desnecessários. Mas por onde começar? Essa é uma dúvida recorrente de quem projeta o sonho da casa própria.

De acordo com a professora do Curso de Arquitetura e Urbanismo da IMED, a arquiteta e urbanista, Liliany Schramm da Silva Gattermann, o primeiro passo é a escolha do terreno em que será construído o imóvel. “Mas não basta apenas a localização e as dimensões do terreno, também é necessário verificar detalhes sobre o local, como: qual o tipo de edificação é permitido naquela área, se não se trata de local em processo de desapropriação ou faz parte de reserva ambiental, além de verificar se o IPTU está atualizado”, observa.

Após a escolha de um terreno, deve se pensar na elaboração do projeto arquitetônico da casa, pois uma obra sem projeto se tornará muito mais cara, além de uma série de transtornos que poderá trazer futuramente. “Um projeto arquitetônico é realizado por pessoas habilitadas a averiguar as melhores soluções, levando em consideração todos os condicionantes que envolvem a edificação, tais como, aspectos legais, aspectos climáticos, topografia do terreno, entre outros. Iniciar uma obra sem um projeto aprovado na Prefeitura é expor a população a riscos ou danos materiais, podendo envolver saúde, segurança e/ou meio ambiente. Isso, com certeza, pode gerar mais custos que uma obra legalizada”, alerta.

 

Professora do Curso de Arquitetura e Urbanismo da IMED, Liliany Scharamm da Silva Gattermann

 

Com relação ao projeto arquitetônico do imóvel, a docente ressalta que um arquiteto e urbanista, é o profissional mais indicado e qualificado para atender às necessidades do cliente. “Na realização de um projeto arquitetônico, o arquiteto e urbanista leva em consideração os vários condicionantes que influenciam nas escolhas do mesmo, tais como insolação e ventilação adequadas, melhor localização da obra no terreno, dimensionamento dos espaços, melhores soluções no que se refere a materiais e técnicas construtivas, visando sempre um equilíbrio entre aspectos funcionais e estéticos”, relata a professora.

Além disso, para iniciar uma obra é necessário aprovar o projeto junto à Secretaria de Obras do município onde o imóvel será construído. “Cada município tem sua própria legislação para a construção de edificações. De modo geral, é necessário aprovar o projeto na Secretaria de Obras da Prefeitura e, após, obter o alvará de construção. Ainda, o Registro de Responsabilidade Técnica e o Cadastro Específico do INSS (CEI)”, esclarece.

Mas para a construção do imóvel, é mais vantajoso contratar uma construtora ou um pedreiro? Conforme a professora, o que importa é contratar mão-de-obra qualificada, mas ela alerta que deve-se sempre averiguar a competência dos profissionais, até mesmo pesquisando trabalhos anteriores para se assegurar do padrão empregado. “Além disso, nunca se deve esquecer de fazer um contrato com a descrição dos serviços, dos prazos, das responsabilidades e dos valores”, ressalta.

No entanto, depois da obra construída ainda devem ser providenciados alguns documentos, antes de habitar o imóvel. “Um pouco antes de finalizada, quando a obra estiver na fase de acabamentos, é importante verificar se o licenciamento da obra está encaminhado, como Certidão Negativa de Débito (CND) do INSS, atestado das concessionárias de água e esgoto, atestado de conformidade da instalação de energia, auto de vistoria do Corpo de Bombeiros (se for o caso), Habite-se e registro do imóvel”, frisa Liliany.

Após realizados estes trâmites, o imóvel está pronto para ser habitado.

Vestibular IMED

A IMED está com inscrições abertas para o Vestibular de Inverno 2019. Para o Curso de Arquitetura e Urbanismo, são oferecidas 40 vagas, tanto no período noturno, quanto no diurno.

A prova ocorrerá nos campi Passo Fundo e Porto Alegre no dia 01 de junho de 2019, com início às 8h e 30min e término às 12h e 30min. As inscrições devem ser realizadas no portal vestibular.imed.edu.br, até às 23h59min do dia 29 de maio de 2019.

Para saber mais, clique AQUI.

** Foto 01: Divulgação/ Pixabay

**Foto 02: Paula Steffenon/ IMED

Galeria de Imagens
comentários sobre esta Notícia