Comunicação

Notícias

VOLTAR
24/07/2020
Arquitetura e Engenharia: o que fazer, de fato, para ser um profissional de destaque no meio da multidão

Por: Francine Tiecher

() comentários

Ter coragem de ousar, experimentar, ter humildade, nunca parar de se questionar, se reinventar, ser multidisciplinar e ter proatividade foram algumas das dicas que os profissionais Renato Mendonça e Rodrigo Kirck passaram aos participantes do webinar “Carreiras de Sucesso na Arquitetura e Engenharia”, promovido pela IMED e que aconteceu na noite desta quinta (23).

O evento, realizado de forma online, reuniu mais de 700 participantes oriundos de 285 cidades, durante a troca de experiência sobre formas de alavancar a carreira, aspectos fundamentais para o sucesso e atuação internacional, habilidades necessárias para atuar no exterior, bem como os desafios e dificuldades em uma carreira na televisão e em âmbito internacional.

O webinar teve como mediadores Renata Tolotti, que é empresária, treinadora de líderes, especialista em ideias criativas para solução de problemas, e Eduardo Müller Araújo, que é Coordenador de Curso de Engenharia Civil da IMED Porto Alegre. Além disso, a iniciativa teve como apoiadores as entidades de classe AGBIM, SENGE, CAU-RS, SINDUSCON-RS, AEAPF e ELA.

 

A construção da carreira inicia ainda na graduação

Apesar de muitos estudantes entrarem na graduação muito jovens, entender o caminho que se quer traçar, desde quando se entra na faculdade, é uma decisão pontual, interessante e também muito difícil.

Porém, isso ajuda a definir como será sua experiência dentro do mercado de trabalho, com oportunidade de crescimento e desenvolvimento.

Renato Mendonça, que é arquiteto e apresentador do Programa “24 horas pra Redecorar”, do Discovery Home & Health, teve várias experiências durante a faculdade, em escritórios e empresas ligadas às mais diversas frentes de trabalho na arquitetura e engenharia.

“A primeira coisa que precisamos ter em mente é de que precisamos trabalhar com que a gente gosta. No início, não tinha vontade de abrir um escritório. Quando a oportunidade apareceu, tomar essa decisão foi importante. Tive sempre a intenção de trabalhar com mercado imobiliário, estar dentro de construtoras e incorporadoras, mas evoluindo e aprendendo com as pessoas que trabalham à frente do canteiro de obras, hoje criei uma série de atividades que me faz ser empresário. Talvez a decisão em realmente me entender dessa forma foi uma chave importante pra chegar onde cheguei”, conta ele, que teve seu primeiro projeto estampando a capa da Revista Casa e Jardim.

Tanto ele quanto Rodrigo Kirck, arquiteto com escritórios no Brasil e no exterior, frisam que é fundamental ter as mais variadas experiências durante a formação. E não só em relação à parte técnica, de experimentação em áreas diversas, mas principalmente, em desafios que desenvolvam a capacidade do autoconhecimento, humildade e proatividade. Para eles e para a formadora de líderes Renata Tolotti, essas competências são fundamentais para os profissionais exigidos pelo mercado na atualidade.

“Eu percebo que o que mais falta dentro da carreira, nas pessoas, é a decisão. Elas sonham muito, querem muito, mas existe um abismo gigantesco entre querer e fazer. Ousadia também é algo importante, é necessário se experimentar muito, pra entender se isso faz parte de quem somos e se gostamos disso. Ficar sempre naquele dilema “e se eu tivesse feito” torna uma carreira insatisfatória. Outra coisa: além de ter a formação técnica, o profissional precisa ter outras experiências vividas para que se abra a mente para outras possibilidades”, pontua Renata, que também possui formação na área politécnica.

 

Se apropriar dos espaços para conseguir projetar algo verdadeiramente funcional

Rodrigo Kirck, arquiteto e idealizador do escritório RKA Arquitetura, que nada mais é do que um ateliê de ideias que apresenta a filosofia da busca de soluções criativas, inovadoras e provocativas em projetos únicos, atua desde 2005 nessa área. Já ganhou diversos prêmios nacionais e internacionais, e frisa a importância do trabalho desenvolvido pelos profissionais da área que almejam ter sucesso e visibilidade na carreira.

“Foi na faculdade que eu percebi que se apropriar dos espaços é fundamental para se conseguir projetar algo realmente inovador. Vivenciar isso é determinante para dominar o espaço. Sair da caixa pra conseguir visualizar melhor cada alternativa é o que faz uma carreira ser alavancada, e entender esse processo é muito importante. Outro fator fundamental é ir até as construções e aprender com as pessoas que fazem a obra, que a executam, que fazem a coisa acontecer, e tem que haver a humildade de aprender com quem está na ponta. Além disso, estar atualizado sobre normas e técnicas utilizadas faz com que os profissionais consigam se estruturar melhor dentro dos projetos”, pontua.

Kirck ainda afirma que, na atualidade, não existe mais a possibilidade de desenvolver projetos e trabalhar de forma isolada, sem interagir com outros profissionais especialistas em outras frentes. Para ele “ser um arquiteto é estar em constante evolução. Buscar conteúdo, buscar mais experiências para aprender cada vez mais, e quanto mais a gente aprende, melhor a gente fica, melhoramos como um todo nesse processo”.

 

Habilidades e competências exigidas dos profissionais que buscam uma carreira de destaque

Renata Tolotti, que é especialista em desenvolvimento de carreiras, explica que, após a formação, as pessoas têm a sensação de que precisam estar prontas, quando na verdade, a trajetória profissional está apenas começando. “Quando se sai de um curso de graduação, as pessoas têm a sensação que precisam estar prontas. Porém, existem muitas outras coisas que precisam ser feitas: estágios, pós-graduação, trabalho em outras áreas, etc. O senso de que estou pronto porque tenho um canudo na mão, não te levam muito longe”, esclarece.

Ela também ressalta que os cinco pilares que constituem uma carreira de sucesso são: inteligência emocional; entender de perfil e comportamento; soft skills – parte comportamental; hard skills – parte técnica e embasamento do que precisa se desenvolver; e networking, importante para o desenvolvimento dos relacionamentos.

Outro ponto abordado pela empresária é de que, ao sair de uma empresa, é de extrema importância expor a realidade, deixando os antigos empregos com bons relacionamentos e oportunidades abertas para o futuro. Ainda sobre as habilidades necessárias, ela pontua fortemente a questão da proatividade, que é altamente reconhecida no mercado, hoje. “Proatividade: ou nascemos com ela, ou temos uma mãe muito brava, e nisso a desenvolvemos Temos que entender onde ela pode contribuir, dentro de metodologias que funcionam muito bem”, brinca.

Sobre proatividade, Rodrigo também confirma que a carreira começa pela iniciativa do profissional. “A proatividade demonstrada pelo profissional é determinante. Tem que se aprender a dinâmica de se discutir algo, pois ninguém é o dono da razão. Aprender com pessoas que já tem trajetória consolidada também conta muito para quem quer ser um profissional diferenciado. Outro comportamento que conta muito, é não esperar as pessoas te pedirem algo, a proatividade é extremamente necessária, uma vez que é impossível construir uma carreira estruturada estando na inércia”, frisa.

Outras habilidades importantes e reconhecidas dentro do meio nacional e da televisão, conforme ressalta Renato, apresentador do Programa “24 horas pra Redecorar”, do Discovery Home & Health, são a segurança no que se faz, o conhecimento técnico adquirido, utilização de softwares e tecnologias para materializar o que é esperado pelo cliente e projetado pelo profissional, ter uma visão generalista, ter motivação, e acima de tudo, se antecipar aos problemas que podem surgir durante um projeto.

Galeria de Imagens
comentários sobre esta Notícia