Comunicação

Notícias

VOLTAR
14/12/2018
ADE Norte Gaúcho encerra atividades 2018

Por: Liliana Crivello

() comentários

O Arranjo de Desenvolvimento da Educação (ADE) encerrou as atividades de 2018, reunindo representantes dos 29 municípios que compõe o ADE Norte Gaúcho, no Laboratório de Metodologias Ativas, LMI, da IMED.

De acordo com a articuladora ADE Norte Gaúcho, Profa. Cláudia Furlanetto, em dezembro de 2017 foram levantadas as demandas do ADE 2018. “As demandas foram especificamente a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), e dentro dela o Referencial Curricular Gaúcho. Passamos o ano trabalhando com as 29 cidades que compõem o ADE, fizemos três encontros de formação, trouxemos pessoas para falar nestes encontros, com os parceiros do programa”, aponta Claudia.

O encontro foi conduzido pelo vice-presidente do Comitê Articulador do ADE, o secretário de educação de Casca, Nathan Ferrari Pastre e socializou as boas práticas que os municípios vêm fazendo com a implementação da BNCC. “Os representantes dos municípios apontaram as atividades dos grupos de trabalho para estudar a base e o referencial, A ideia era está, que passando um ano de trabalho pudéssemos socializar o que tinha sido feito e a avaliação foi muito positiva enquanto Arranjo de Desenvolvimento da Educação”, frisa Cláudia.

Para o ano que vem está prevista a necessidade de ampliar algumas demandas, onde até hoje (14) os municípios devem encaminhar para o Arranjo as necessidades comuns entre elas, para serem qualificadas em 2019. Uma das ações deve ser um grande seminário ou uma conferência de Educação, reunindo as instituições parcerias e as cidades.

 

Arranjo de Desenvolvimento da Educação

O Arranjo de Desenvolvimento da Educação (ADE) é uma estratégia para implantar o regime de colaboração entre municípios para alavancar ações e indicadores educacionais, visando à melhoria da qualidade da educação no âmbito local, em uma ação conjunta com o Ministério da Educação (MEC) e outros parceiros.

Esta estratégia é um modelo de trabalho em rede, no qual um grupo de Municípios com proximidade geográfica e características sociais e econômicas semelhantes, busca trocar experiências e solucionar conjuntamente dificuldades na área da Educação.

O fenômeno do associativismo territorial é muito importante nas federações, envolvendo, necessariamente, a aliança formal ou informal entre governos que estejam em territórios contíguos, podendo ter também a participação vertical de outros entes federativos.

 

Fotos: Francine Tiecher/IMED

Galeria de Imagens
comentários sobre esta Notícia