Comunicação

Notícias

VOLTAR
08/10/2019
A aprendizagem ativa contribui na capacidade de resolver problemas

Por: Daniel Santos

() comentários

Na aprendizagem ativa o aluno deixa de ser uma mero ‘recebedor’ de informações e passa engajar-se de maneira ativa

Foi-se o tempo em que o professor só ‘ensinava’ e o aluno só ‘aprendia’. As técnicas clássicas de aprendizagem dão lugar a aprendizagem ativa - um termo técnico para um conjunto de práticas pedagógicas que tratam as questões da aprendizagem pelos alunos sob uma perspectiva diferente.

Na aprendizagem ativa o aluno deixa de ser uma mero ‘recebedor’ de informações e passa engajar-se de maneira ativa, buscando o conhecimento de maneira pró-ativa.

A gerente acadêmica da IMED, Juliana Priscila Cardozo, explica que a Aprendizagem ativa é proveniente do Construtivismo que por sua vez tem como base epistemológica o papel ativo do sujeito na criação e modificação de suas representações do objeto do conhecimento. “Como próprio nome já diz: aprendizagem ativa aprender de forma ativa, estar ativo. Consiste em construção! Na famosa ‘mão na massa’. A característica mais marcante pode-se dizer que é o engajamento do aluno em seu processo ativo de aprendizagem. Requer que o acadêmico se envolva de forma participativa, autônoma, reflexiva e indagadora. Para isso é necessário que o docente envolva a turma em um conjunto de práticas pedagógicas que problematizem fatos reais, possibilitando o desenvolvimento coletivo para a solução, tornando assim os estudantes protagonistas responsáveis. Existem vários estudos mundialmente conhecidos que explicam como a aprendizagem de fato se consolida e seus processos: 10% lendo; 20% escrevendo; 50% observando e escutando; 70% discutindo com outras pessoas; 80% praticando; 95% ensinando. Assim fica fácil identificar que os métodos mais eficientes estão inseridos na aprendizagem ativa”, comenta.

Pensar formas inovadoras de aulas que considerem os conhecimentos prévios dos estudantes e os estimulem a ser criativos, questionadores, resolutivos, requer tempo. É necessário se adaptar a cada nova turma, compreender demandas e características pontuais. O uso de estratégias ativas de aprendizagem, aliada ao suporte de tecnologia, permite compreender e atender o estudante e sua turma de forma mais individualizada. Permite formar profissionais com as competências do século XXI, demandadas pelo mercado e pela sociedade. Essas metodologias propõem que o estudante seja o centro do processo de formação.

“Um pesquisador de quem gosto muito chamado José Manoel Moran, em seus textos descreve sobre a necessidade dos alunos em serem estimulados a se envolver e resolver atividades complexas. O desenvolvimento da capacidade de resolver problemas se consolidará a medida em que os mesmos forem encorajados a contribuírem de forma reflexiva, crítica e criativa. Assim sendo, os impactos positivos na aprendizagem se efetuarão a medida em que as situações em sala de aula propiciarem a vivencia e a construção de hipóteses e alternativas para a resolução de algum determinado problema”, relata a Juliana.

Toda a formação em aprendizagem ativa e tecnologias inovadoras da IMED, busca atender a demanda da nova geração de aprendizes, que busca acesso móvel ao conhecimento, procura relevância em tudo que aprende e experimenta e acima de tudo, quer colaborar, cocriar e aprender a resolver problemas do mundo real.

“Trata-se de um compromisso docente uma vez que com a infinita gama de informações disponíveis de forma veloz através da internet, a sociedade acaba por nos exigir agilidade no processo de ensino-aprendizagem. É papel do professor levar para a sala de aula questões latentes na sociedade, ou mesmo abrir espaço para que os alunos abordem, dando prioridade ao desenvolvimento de capacidades e competências que os estudantes possuem para selecionar, assimilar, processar e interpretar as informações compartilhadas alcançando os objetivos propostos.  Diante do momento dinâmico que vivemos, torna-se fundamental uma reflexão profunda sobre o processo de ensinagem, para que este por sua vez seja trabalhado para obter resultados favoráveis a aprendizagem”, finaliza a gerente acadêmica.

 

Processo Seletivo IMED

A IMED está com inscrições abertas para o Processo Seletivo 2020, oferecendo 1.062 vagas para os cursos Administração, Arquitetura e Urbanismo, Ciência da Computação, Ciências Contábeis, Direito, Enfermagem, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Engenharia de Produção, Engenharia Mecânica, Medicina, Medicina Veterinária, Odontologia e Psicologia no campus Passo Fundo e 390 vagas para os cursos Arquitetura e Urbanismo, Direito, Engenharia Civil, Odontologia e Psicologia no campus Porto Alegre.

A prova ocorrerá no dia 09 de novembro de 2019, com início às 8h30 e término às 12h30.  As inscrições devem ser realizadas no site seletivo.imed.edu.br, até às 23h59 do dia 07 de novembro.

 

Galeria de Imagens
comentários sobre esta Notícia